Não basta existirmos, temos que viver para Cristo !



Edificando Vidas

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

sábado, 28 de agosto de 2010

DESEJO PARA HOJE

É hoje a partir das 19 Horas, 11º congresso de Jovens e Adolescentes, e quero fazer aqui alguns pedidos, algo que meu coração deseja...


Desejo que Deus se manifeste à mim e a todos presentes.
Desejo que aqueles que estão afastados da casa do Pai, retornem hoje; pois queremos festa no céu.
Desejo que os mortos espirituais saiam do vale de ossos secos e tenham vida.
Desejo que meu pecado seja confrontado com a palavra de Deus
Desejo sair deste congresso melhor do que entrei, sendo mais servo, humilde, humano, amoroso...
Desejo que Deus bata um carimbo em meu coração com os seguintes dizeres: Aprovado!
Que o nosso coração seja totalmente do Senhor!


Vamos lá mocidade!

Atenciosamente,
Alysson Jordão

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

ATENÇÃO!


Estamos te esperando!
Como dizem os jovens: Vai bombar!
Que a presença de Deus esteja conosco.
Espero vocês

Atenciosamente,
Alysson Jordão

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

ONDE ESTÁ O SEU CORAÇÃO?

Gênesis 3.9, o Senhor Deus chama ao homem e lhe pergunta: “Onde estás?”. Não saberia Deus onde o homem estava? Claro que sim! Mas as perguntas abrem possibilidades de reflexão e são grandes ferramentas pedagógicas. O nosso bom Mestre, Jesus, as utilizou em diversas ocasiões, inclusive para aferir sobre a opinião das pessoas em relação a si: “Quem diz o povo ser o filho de Deus?” (...) “E, vós, quem dizeis que eu sou?”. (Mt. 16.13-15).

Após sua ressurreição, temos o tão conhecido questionamento que Cristo fez a Pedro e em dose tripla: “Simão, filho de João, tu me amas?”. (Lc. 21.15-18).

Hoje, em tempos de secularismo e esfriamento espiritual, o coração é um alvo certo do nosso adversário para nos afastar de Deus.

A voz do Senhor pode estar ecoando no Jardim dos nossos lares aos pais em primeiro lugar: “Onde está seu coração?”. Porque o cabeça do lar é o homem e dele será cobrado o cuidado espiritual sobre o coração da esposa e dos filhos.

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes de vida”. (Pv. 4.23). Mulheres, onde está o vosso coração? Ó jovens, onde está o vosso coração? Crianças, onde está o vosso coração? Igreja amada, onde está seu coração?

O Senhor contempla e sabe as respostas, mas por sua graça e misericórdia, nos dá a oportunidade de refletirmos, nos arrependermos, assim como fez o salmista Davi (Sl. 51.10) “Cria em mim, ó Deus, um coração puro...”.

Qual será sua resposta a esse questionamento? A essa oportunidade?

Reflitam: Onde está o seu coração? E, não se engane, Deus sabe a resposta

* Está chegando o nosso congresso, você que pode, participe!*
Alysson Jordão

terça-feira, 24 de agosto de 2010

“O DIFÍCIL NÃO É SABER, MAS SIM SABER O QUE FAZER COM O QUE SABE”

Era uma vez, uma raposa que vivia contando vantagens sobre suas estratégias para fugir de um perigo repentino. Certo dia estava proseando com o coelho: - Quando o perigo se aproxima eu posso fazer várias coisas. Sei correr como poucos animais...
E o coelho repetia sempre a mesma coisa:
- Eu só sei correr.
- Mas só sabe correr? Além de correr eu também sei nadar. Se o perigo se aproximar por terra eu me jogo no rio, fujo nadando.
- Eu só sei correr.
- Mas além de correr, nadar e subir rapidamente em árvores, eu aprendi com o camaleão a me disfarçar e a enganar o inimigo.
- Eu só sei correr - continuava a repetir o coelho.
No meio de tanta conversa, cães de caça se aproximaram rapidamente e o coelho, mais do que depressa saiu em disparada e a raposa, imóvel, ficou pensando: "vou correr, vou nadar, vou subir em árvores ou vou me disfarçar?".
- Nisso os cães chegaram e "já era" uma raposa cheia de truques, estratégias e esperteza que não soube utilizar nada do que sabia na hora da necessidade.
"O difícil não é saber, mas sim saber o que fazer com o que se sabe
Não basta saber sobre a palavra de Deus, tem que saber manejar bem a palavra da verdade!
Que nosso coração esteja na palavra de Deus.

Alysson Jordão

NÃO PERCA O SEU CORAÇÃO!

domingo, 22 de agosto de 2010

QUASE...

Onde está seu  coração?
Esta semana, estaremos voltando nossa atenção para este tema.

Medite!

Aguardamos você!

PESSOAS NÃO QUEBRANTADAS SÃO DE POUCA UTILIDADE

De acordo com o ensino de nosso Senhor, podemos obter o máximo da vida perdendo-a.

Ele diz que perder a vida por sua causa é salvá-la. Há um eu inferior que deve ser calcado sob os pés. Mas há, também, um eu superior que deve ser morto.
O vaso de alabastro, bonito como era, devia ser quebrado, para que o unguento pudesse fluir e sua fragrância encher a casa.
As uvas devem ser esmagadas antes que possam ser transformadas em vinho.
O trigo deve ser moído antes que possa tornar-se em pão para alimentar os famintos.
Assim é na vida. "Pessoas não contundidos, não quebrantadas são de pouco uso para Deus"
Enquanto não pararmos de viver para o eu, não começaremos a viver de modo algum. Somente quando a lei do auto-sacrifício passa a ser um princípio do coração é que qualquer vida pode tomar-se para o mundo a bênção que ela devia ser.
Reflita: Foi "desperdiçado" o bálsamo que Maria derramou sobre o Senhor depois de haver quebrado o vaso de alabastro? O homem natural diria "sim", juntamente com os discípulos. Sim; mas suponhamos que ela o deixasse no vaso intacto. Teria havido qualquer menção a respeito? Seu ato de cuidadosa preservação teria sido contado em todo o mundo? Ela quebrou o vaso e despejou o bálsamo; perdeu-o; sacrificou-o, e agora o incenso do perfume é levado a todos os lares onde esta mensagem é ouvida.
Deus quer nos usar mas primeiro precisamos nos quebrantar.
Lucas 7.36-50
Ore por mim e eu oro por você.
Como meu coração precisa ser quebrantando!
Nos ajude Senhor...

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

A MÁQUINA DE ESCREVER

Apxsar dx minha máquina dx xscrxvxr sxr um considxrada uma sucata x dx modxlo antigo , funciona bxm, com xxcxção dx uma txcla.

Há 42 txclas qux funcionam, mxnos uma, x isso faz grandx difxrxnça.
Às vxzes, mx parxcx qux mxu grupo, x´ como minha máquina dx xscrxvxr, qux nxm todos os mxmbros xstão dxsxmpxnhando suas funçõxs como dxvxriam, qux txm um mxmbro achando qux sua ausxncia não fará falta...
Vocx dirá: " Afinal sou apxnas uma pxça sxm xxprxssão x por isso, não farxi difxrxnça x falta à comunidadx".
Xntrxtanto, para uma organização podxr progrxdir xficixntxmxntx, prxcisa da participação ativa x consxcutiva dx todos os sxus intxgrantxs.
Na próxima vxz qux vocx pxnsar qux não prxcisam dx vocx, lxmbrx-sx da minha vxlha máquina dx xscrxvxr x diga a si mxsmo:
" xu sou a pxça, mais importantx do mxu grupo x os mxus amigos prxcisam dx mxus sxrviços! "
Pronto agora consertei a minha máquina de escrever.
Você entendeu o que eu queria te dizer !...
Percebeu a sua imensa participação nos processos de evolução e crescimento profissional seu e daqueles ao seu redor ?
Percebeu que assim como existem pessoas importantes para nós, também somos importantes para alguém ?

ANIVERSÁRIO DO CUNHADO - VAGNER!

Feliz Aniversário!

Deus te abençoe!!!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

LIDERANÇA – SEU MINISTERIO PRECISA DE UM TEMA

Eu nada me propus a saber entre vós senão Jesus Cristo e este crucificado, que é escândalo para os judeus e loucura para os gregos” (1 Co 2.1,2)

Certa ocasião li sobre um pregador ministrar acerca de quinze coisas que ele faria se começasse o seu ministério de novo. Uma delas era ter um tema. Pregamos e ensinamos muitas coisas sem um tema de vida a partir de nossa profunda experiência com o Senhor. Jesus Cristo crucificado e ressurreto era o tema de Paulo. Na verdade, ele o reduziu para a expressão “em Cristo”. Toda a vida, toda a teologia de Paulo estava embasada nessa expressão. Toda a sua análise da vida, das circunstâncias era a partir de sua profunda experiência com Cristo.

Geralmente os escritores das Escrituras, que foram inspirados pelo Espírito Santo, possuíam um foco. Abraão era a fé. Jacó era a persistência ou perseverança. José era a integridade. Davi era a confiança. Salomão era a sabedoria. Cada profeta tinha um tema principal. Os evangelistas tinham uma ênfase. Cada um deles abordou um tema sobre Jesus. Para Mateus, Jesus era o Rei. Para Marcos, Jesus era o Filho do Homem. Para Lucas, Jesus era o servo. Para João, Jesus era o Filho de Deus.

Inúmeras vezes somos como aquele homem que deseja caçar patos selvagens atirando desordenadamente. Precisamos mirar cada um deles e atirar. Como lideres e pregadores é mister que tenhamos um tema e, a partir dele, interpretarmos as situações. Sem duvida, haverá uma conexão segura entre o tema que recebemos do Senhor e a necessidade do Seu povo.

O nosso tema é a chave que abrirá as portas dos contextos nos quais estamos inseridos. Quando o povo de Deus estiver cansado de ouvir o tema é porque está aprendendo a caminhar pela Palavra. Quando temos uma ênfase podemos planejar melhor, em oração, as mensagens. O tema é o norte, a direção.

O Senhor Jesus Cristo deve ser sempre a gênese do nosso assunto. Os nosso sermões devem ser plenos da Pessoa e Obra de Cristo. Ele é a razão dos nossos temas e, consequentemente, da nossa fé. Portanto, tenhamos um tema nos nossos ministérios para a edificação da Igreja; salvação dos perdidos e para a Glória do nosso Grande Deus que nos chamou com uma santa vocação.

Qual seria o tema do seu ministério pessoal?

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

TOME A INICIATIVA E AVANCE CADA DIA MAIS!

Vença a preguiça e a resistência que o impede de mudar. Não espere até amanhã para realizar uma tarefa: faça-a agora. Não deixe que o medo do desconhecido o impeça. Lembre-se: ainda que um navio esteja mais seguro no porto, ele foi feito para navegar por longas distâncias. Veleje com uma nova idéia e observe aonde os ventos da mudança o levam. Desenvolva o hábito de tomar a iniciativa e avance cada dia mais.

Autor: Steve Marr

LETICIA - AMIGA!

Letícia,

Pensamos em fazer um vídeo em sua homenagem, mas como daqui a algum tempo você será advogada, preferimos não expor sua imagem. Vai que futuramente você decidiria nos processar?
Não queremos ser processados, muito menos por uma advogada e amiga chamada Letícia.
Bom, já deu para introduzir nossa homenagem a você, querida Letícia.

Falando sério:
O tempo tem passado, as oportunidades têm chegado, os obstáculos estão sendo enfrentados e vencidos...
Você, com seu jeito criança e, ao mesmo tempo, adulto nos encantou...
Sabemos que se cala quando deve calar e fala quando deve falar. Que bela virtude!
É uma moça de poucas palavras, mas de fortes expressões!
E o seu sorriso meigo? Dá para oferecer um sorriso agora? rsrs
E o que falar do seu talento para interpretar teatro?
Sinceramente, se tivéssemos que fazer uma listagem com o nome dos melhores, o seu estaria na lista.
Estamos com saudades do seu talento...
Sabemos que você conseguirá chegar aos lugares altos...
Sabemos também que servirá de exemplo para muitas pessoas...
E que o Deus que começou a boa obra em sua vida é fiel para terminar!

Futura Advogada,
Você conhecerá quase toda a Lei humana, mas bom será que conheças e vivas toda a Lei e Graça de Deus...
Falará cada dia palavras mais difíceis, mas mesmo com as palavras mais simples, já nos conquistou...
Conhecerá cláusulas e cláusulas, mas a principal delas é:
1º. - Amar a Deus acima de todas as coisas...
1.1 - Com toda sua alma...
1.2 - E, amar o próximo, como a si mesma.
Essas cláusulas, se bem seguidas, direcionarão sua vida ao céu.
Um forte abraço,
de toda família Rocha Viva e de seus amigos.
Há, uma curiosidade: Você sabia que no dia do seu aniversário, também é comemorado o dia dos advogados?
Agora a última pergunta que os solteiros querem saber: Tá namorando? Rsrs

Feliz Aniversário, Amiga!


Alysson & Fátima Jordão

sábado, 14 de agosto de 2010

INSATISFEITOS - ATÉ QUANDO?

Muitos de nós estamos vivendo uma vida insatisfatória, uma vida de ingratidão e com frequentes murmurações. Observe, nada está bom, reclamamos de tudo ou quase tudo. Até quando continuaremos vivendo desta forma?

Se observarmos a parábola do Filho Pródigo (Lucas 15.11-32), vemos que ele tinha tudo que uma pessoa precisava para viver satisfeita; mas em certo momento de sua vida, a insatisfação falou mais alto e isso lhe fez tomar drásticas decisões.

O bom é que ele teve a oportunidade de se arrepender, de fazer uma avaliação de como era feliz sem saber, de como sua decisão trouxe sérias consequências. Dessa forma, pôde ponderar e voltar para casa.

Você pode estar nessa situação, feliz sem saber!

Seja grato ao Senhor, viva uma vida de satisfação, alegria... "Porque esta é a vontade do Pai". (1 Tes. 5.17)


PARA OS INSATISFEITOS

- Olhem para os que têm fome e não para aqueles que comem com fartura;
- Olhem para os que não têm onde morar e não para aqueles que moram em mansões;
- Olhem para os que estão em enfermidade e não para aqueles que estão com muita saúde;
- Olhem para os que estão desempregados e não para os que estão trabalhando;
- Olhem sempre para os que têm de menos e nunca para os que têm demais, porque SE O QUE TENS TE PARECE INSUFICIENTE, ENTÃO, MESMO QUE POSSUAS O MUNDO, AINDA ASSIM TE SENTIRÁS NA MISÉRIA..

Alysson Jordão

TÁ QUASE!

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

MAIS QUE PECADORES X MAIS QUE VENCEDORES?

Paulo cunhou a expressão “mais que vencedores” (Rm 7.37). Existem também os “mais que pecadores”. São dois extremos viáveis. À luz das Escrituras. E à luz da história.

Mais que pecadores são aqueles que adulteram, mandam matar o marido traído e ainda governam o país e escrevem salmos de louvor a Deus.
Mais que pecadores são aqueles que têm as trinta moedas de prata no bolso e ainda perguntam: “Porventura sou eu, Senhor, o traidor?” (Mt 26.22).
Mais que pecadores são aqueles que exploram as viúvas e roubam os seus bens, e, para disfarçar, fazem longas orações. Ou aqueles que dão o dízimo até mesmo da hortelã, da erva-doce e do cominho, mas deixam de obedecer aos ensinamentos mais importantes da Lei. Ou aqueles que coam publicamente um mosquito e engolem secretamente um camelo. Ou aqueles que por fora se parecem bonitos, mas por dentro estão cheios de podridão.
Mais que pecadores são aqueles que se atrevem a possuir a mulher do próprio pai e continuam a tomar o pão e o vinho da Ceia do Senhor e a falar línguas estranhas.
Mais que pecadores são aqueles que se batizam por causa do interesse de receber o dom do Espírito para comercializar o próprio Espírito.
Mais que pecadores são aqueles que pregam sobre fidelidade conjugal nos maracanãs ao redor do mundo e mantêm às escondidas relacionamentos ilícitos.
Mais que pecadores são aqueles que chamam o cônjuge de amor, meu querido ou minha querida ou de “meu benzinho lindo”, e já estão apaixonados por outro homem ou por outra mulher.
Mais que pecadores são aqueles que não têm mais autoridade para pregar e pregam, não têm mais autoridade para ensinar e ensinam, não têm mais autoridade para escrever e escrevem, não têm mais autoridade para ministrar o louvor e ministram, não têm mais autoridade para celebrar a Eucaristia e celebram, não têm mais autoridade para presidir e presidem.
Alguns pecadores são mais que pecadores só por causa da mentira, do fingimento, da hipocrisia. Eles conseguem esconder o pecado atrás de uma maquilagem espiritual bem cuidada, mas que não funciona por muito tempo. A máscara cai e, de repente, todos vêem a feiúra que está por detrás dela. É neste preciso momento que acontece o escândalo — o desmoronamento da cobertura que escondia o pecado contumaz, do qual não se abria mão. Embora seja a pior experiência que uma pessoa possa ter, o escândalo tem o seu lado bom, tanto para os mais que pecadores como para a igreja, pois marca a falência de um regime de vida marcado pela hipocrisia.
Todavia, a palavra de Jesus em proteção às crianças deve soar bem nítida: “Ai do homem pelo qual vem o escândalo” (Mt 18.7)!

Alysson Jordão

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

“ PRECISO ANDAR A SEGUNDA MILHA DE QUE FALA JESUS E PERDOAR SETENTA VEZES SETE, TAMBÉM DE ACORDO COM JESUS”

Aprenda a promover uma reconciliação e melhore os seus relacionamentos afetivos
Precisamos com a ajuda de Deus, pôr um ponto final em nossos desentendimentos com todas as pessoas com as quais convivemos
Chega de briga, de discussões, de gritaria, de grosseria, de palavrões, de agressões, de antipatia. Estou cansado de depender do outro para parar de brigar. Vou tomar a iniciativa, não sou ingênuo. Estou ciente de que será difícil.
Porém não digo mais que será impossível. Reconheço que já avancei um pouco e quero dar continuidade a esse pouco.
A partir daí, Deus me dará outras vitórias.
Sei que o relacionamento entre duas ou mais pessoas é sempre complicado por causa da nossa herança adâmica. Lembro-me de Abel e Caim, de Sara e Agar, de Jacó e Esaú, de Raquel e Lia, de José e seus irmãos, de Maria e Marta, de Paulo e Barnabé e da membresia da igreja de Corinto.
Estou ciente de que eu e meu cônjuge, eu e meus filhos, eu e meus vizinhos, eu e meus colegas de trabalho, eu e meus irmãos na fé – somos muito diferentes, o que me leva a crer que o relacionamento entre nós não será automático.
Vai exigir esforço, temperamento controlado e autonegação continuada.
Eu e eles temos temperamentos, históricos, ênfases, experiências, reações, defeitos, virtudes, capacidades e dons diferentes.
Além disso, eu e eles somos pelo menos potencialmente invejosos, ciumentos, egoístas, orgulhosos, impacientes, briguentos e outras coisas mais.
Para viver em paz, preciso passar por cima de tudo isso.
Preciso andar a segunda milha de que fala Jesus (Mt 5.41) e perdoar setenta vezes sete, também de acordo com Jesus (Mt 18.22).
Meu relacionamento no circuito mais próximo e íntimo (no lar) e no circuito mais amplo e público (no trabalho e na igreja) vai depender de certas virtudes claras.
Preciso conhecer e respeitar o outro.
Preciso amar e perdoar o outro.
Preciso tolerar o outro e ter paciência com ele.
Preciso ter sabedoria e acerto para conviver com o outro.
Preciso de humildade para não me encher de glória à custa do esvaziamento da glória do outro.
Preciso repudiar a comparação, a competição e a concorrência com o outro.
Preciso descolar da memória qualquer lembrança negativa, tanto recente, como remota do outro. Preciso pedir desculpas e desculpar. Preciso conversar, dialogar e desabafar com o outro.
Preciso evitar qualquer oportunidade que possa gerar aborrecimento com o outro.
Preciso interceder pelo outro.
De hoje em diante vai ser assim. Que o Senhor me socorra! Amém.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

AINDA PRECISAMOS DE JOSUE E CALEBE

Muitas pessoas estão andando sem motivação para com a obra de Deus, pois os tempos são difíceis, parece que o caminho está ficando mais estreito, e o amor de muitos já se congelou, parece que a maioria só vê gigantes. Mas quero lembrar que existem aqueles que vêem Deus...

Existe uma promessa, tem uma terra para possuir e esta terra é muito excelente; só que está faltando Josué e Calebe, homens que não desistem mesmo que passem quarenta anos, eles continuam crendo em Deus, na promessa e na terra.

Seja você a trazer noticias boas. Tenha um espírito de conquista conectado com o Espírito de Deus. Seja você um Josué e Calebe dentro da igreja, lar, trabalho, sociedade.

“Subamos e possuamos a terra, porque certamente prevaleceremos contra ela” (Números 13:30).

Quem você será: Josue ou Calebe?

Alysson Jordão.

domingo, 8 de agosto de 2010

PAIS E FILHOS

Presente de Deus para minha vida.
Deixe registrado hoje
Amo todos vocês!

Deus nos abençoe!!!

DEUS DE ALIANÇA, DEUS DE PROMESSAS

Se estamos chegando onde vamos chegar, é porque temos um Deus de aliança, de promessas.
Posso enfrentar o que for
Eu sei quem cuida de mim
Teus planos não podem ser frustrados
Minha esperança está
Nas mãos do grande Eu sou
Meus olhos vão ver
O impossivel acontecer!


Alysson Jordão

AO MEU PAI E AOS MEUS FILHOS

Hoje, dia dos pais!


Que coisa bonita é relacionamento entre pais e filhos.
Agradeço ao Senhor pela vida do meu pai, que tanto contribui para meu crescimento e carater.
Se hoje estou aqui, agradeço muito ao meu amado pai.
Também agradeço aos meus filhinhos, que demonstram tanto amor para comigo.
Me fazem tão feliz!!!
Fico sem palavras para esta ocasião
Agradeço ao meu Pai do céu...
Me ajude Senhor ser um filho e um pai segundo o teu coração.

Você que pode, aproveite o dia dos pais.

Abraços a todos.



Papai Alysson

sábado, 7 de agosto de 2010

JOSÉ, PAI DE JESUS - HOMENAGEM AOS PAIS

E agora José?
Este é o titulo da linda poesia de Carlos Drummond de Andrade, mas esta pode ser a pergunta ao jovem José de Nazaré, descendente de Davi, um carpinteiro, que retrata de uma forma vívida o ministério da paternidade, enquanto Maria é uma figura mais vultosa, como o ministério de mãe, José é o protótipo deste ministério de pai, coadjuvante, silencioso e anônimo, mais que traz sobre si, grande importância, evidenciada na vida deste jovem de Nazaré . José é um jovem cheio de sonhos e, amor por uma jovem chamada Maria, de extrema beleza e doçura. Se Maria carrega sobre si, (não por culpa dela); as grandes controvérsias teológicas. José por sua vez, passa despercebido na trajetória do cristianismo, obviamente, sob a ótica da maioria dos chamados cristãos.

José é a descrição, da discrição do que significa ser esposo e ser pai. Ele é um personagem que não se ouve, a sua voz, em nenhum relato das Escrituras, ele desaparece como surgiu, silenciosamente. Porém, os evangelistas não evidenciam suas palavras, mas a vida de José, vida que não passa despercebida aos olhos de Deus, que inspirou os evangelistas a registrarem a sua vida. Ele é um homem dócil e de caráter imaculado. Se Deus escolheu mediante sua graça, a jovem Maria para ser mãe do seu Filho Jesus, de igual modo Deus escolheu José para ser pai do seu Filho, mesmo que de uma maneira adotiva.

Não temos nenhuma evidência bíblica que José fosse de família sacerdotal, ou de alguma estirpe religiosa, ou de nível sócio-econômico acima da média. O mais provável, é que ele fosse um homem simples, de uma cidade, sem nenhuma expressão, que era Nazaré, mais o seu maior legado, era quem ele era. Algumas características são marcantes na sua trajetória. José tinha desposado a linda jovem Maria, mas algo aconteceu, como registra em Mateus 1.18 “...estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que estivessem coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo.”

José foi um esposo que não agiu no calor das emoções, não tomou decisão precipitada. Mesmo que, nunca tinha acontecido fato semelhante em Israel. Alguém grávida pelo Espírito Santo. O castigo para a mulher ou homem que adulterava era a morte. Imagine, o conflito que seguiu-se na vida daquele jovem homem. Uma das características de José, é que ele era protetor da sua família, (não de nenhuma outra família). Hoje, percebemos que as famílias se desintegram muito rapidamente, e na sua maioria, o homem foge de suas responsabilidades de protetor do lar. Qualquer dificuldade já é o motivo para abandonar a esposa e filhos.

Devemos aprender com José, a enfrentar momentos difíceis, com sabedoria, sem precipitação. Ele iniciou o casamento com uma terrível crise. Mas mesmo em conflito, ele soube esperar a resposta de Deus. Deus mandou o seu anjo, anunciar a José, o que estava de fato acontecendo. A mensagem de Deus, através do anjo, trouxe paz ao coração de José.

A obediência foi também uma característica que o acompanhou, “Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu sua mulher.” Mateus 1.24 Ele não resistiu, mas com todo amor e carinho, recebe a sua esposa Maria. Não somente recebeu Maria, como esperou o nascimento de Jesus, para só depois de tal fato, ter relações sexuais com ela. “Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus.” Mateus 1.25 José abriu mão dos seus sonhos e projetos pessoais para comprometer com sua família. Quando Herodes mandou matar as crianças, de dois anos para baixo, em Belém e nos seus arredores. Deus ordenou que José e sua família fossem para o Egito “Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito.” Mateus 2.14 Deus não comunica a Maria o que deve fazer, mas é a José como esposo e pai, que o Senhor dirige, e encontra em José, alguém que está comprometido com a família.

Deus tem encontrado em você um homem comprometido com sua família? Ou você é comprometido com seu trabalho, empresa, entretenimento, amigos? Deus tem encontrado em você alguém disposto a levar adiante o projeto Dele em sua família?

José foi um pai dedicado na criação de Jesus. Desde cedo ele já conduzia Jesus a busca de uma espiritualidade “Ora, anualmente iam seus pais a Jerusalém, para a Festa da Páscoa.” Lucas 2.41 Ele também ensinou a Jesus o oficio de carpinteiro, o evangelista Marcos, que não menciona nenhuma passagem sobre José, nos traz este registro, que é o maior elogio que um pai pode receber do seu filho, a admiração de Jesus foi expressa, tornando-se carpinteiro como José “Não é este o carpinteiro,...” Marcos 6.3a José foi tão importante na vida de Jesus, que ele era confundido, como verdadeiramente o pai de Jesus “...Jesus, o Nazareno, filho de José.”João 1.45b “E diziam: Não é este Jesus, o filho de José?” João 6.42a José desaparece silenciosamente dos relatos bíblicos, provavelmente, quando Jesus iniciou seu ministério ele já tivesse morrido. Mas ele deixa a todos os pais, o exemplo de alguém, que foi obediente a voz de Deus, dedicado homem ao projeto familiar, o único homem a quem o Mestre imitou.

Que Deus renove em você, pai, a disposição para continuar neste árduo, mas divino ministério da paternidade.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

M.B.C - 11º CONGRESSO

Está se aproximando o dia.
Esperamos que Deus fale aos nossos corações.
Estamos com sede e fome de sua palavra.
Dependemos de Ti Senhor...

O mandamento de fazer discípulos

Na Grande Comissão (Mt 28.16-20), a afirmação da autoridade universal do Senhor Jesus Cristo precede a definição da missão da igreja representada pelos onze discípulos que o rodeavam naquele momento: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (v. 18b-20a). Fica claro neste texto que o senhorio universal de Jesus Cristo é a base da missão universal da igreja.

Essa missão se resume no mandamento: “fazei discípulos”. Curiosamente, para expressar essa ideia, o Evangelho Segundo Mateus usa o verbo “matheteúsate”, que, no Novo Testamento, aparece apenas quatro vezes: três delas nesse Evangelho (13.52; 27.57; 28.19) e uma em Atos (14.21). Em contraste com o verbo “matheteuein”, o substantivo “discípulo” (“mathetes”) é comum nos Evangelhos e em Atos, porém não é encontrado em nenhum outro livro do Novo Testamento. Tal expressão é característica nos Evangelhos para referir-se aos seguidores de Jesus Cristo: aparece 73 vezes em Mateus, 46 vezes em Marcos e 37 vezes em Lucas.

Para entender devidamente o sentido do mandamento é indispensável prestar atenção em um detalhe gramatical que nem sempre é levado em consideração: no texto grego, “matheteúsate” é o único verbo no modo imperativo. As outras três formas verbais ligadas a este verbo “matheteúsate” -- “ide”, “batizando-os” e “ensinando-os”-- estão, de acordo com o original grego, na forma verbal gerúndio e sua função é qualificar a ação a que se refere o verbo principal -- “fazei discípulos”. O primeiro gerúndio (no grego) presente na frase é traduzido como “ide”, mas poderia ser traduzido como “marchem”, e não deve ser interpretado separadamente do mandamento central expresso pelo verbo no modo imperativo no grego. O que Jesus diz é: “Marchem: façam discípulos”. Os outros dois gerúndios respondem à pergunta: como se faz discípulos? A resposta é: “batizando-os e os ensinando”.

Concluindo, o foco da Grande Comissão não é outro senão o de “fazer discípulos de Jesus Cristo”. Esta é a missão que Jesus Cristo delegou à sua igreja, é a tarefa central da igreja até o fim do mundo. A conexão entre essa missão e o senhorio universal de Jesus Cristo é estabelecida por uma expressão que aparece logo no início do versículo 19: “portanto”. Em outras palavras, pelo fato de que Jesus Cristo é o Senhor de toda a criação e de todos os aspectos da vida humana, a igreja recebeu o mandamento de fazer discípulos, ou seja, pessoas que reconheçam esse senhorio e vivam de acordo com ele. Jesus Cristo é o Senhor de todos; portanto, todos devem reconhecê-lo como tal.

Se levarmos em conta que, durante seu ministério terreno, Jesus Cristo dedicou muito de seu tempo à formação de seus discípulos, torna-se evidente que a missão que ele confiou a seus discípulos pouco antes de sua ascensão é continuar o que ele mesmo fez com eles. A missão da igreja, representada pelo corpo apostólico, é o prolongamento da missão de Jesus Cristo, prolongamento este que se baseia em um discipulado missionário idealizado para continuar até o fim do mundo.

A esfera de ação do trabalho de fazer discípulos abarca “todas as nações”. E, visto que a autoridade de Jesus Cristo está presente “no céu e na terra”, a missão que ele delega a seus discípulos é igualmente global: tem de se estender a “todas as nações”.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A igreja de início e meio

Havia uma igreja onde nenhum projeto terminava. Era a igreja de início e meio.
Nesta igreja havia pessoas de boa vontade e muitas outras criativas, porém sua liderança possuía um grande defeito: jamais conseguiam levar um projeto até o fim.
Propósitos de orações começavam e nunca iam até o dia estipulado. Projetos missionários eram cuidadosamente elaborados e nunca saiam do papel. O coral e o ministério de artes ensaiavam constantemente, mas nunca apresentavam seus trabalhos e a comunidade em volta da igreja nunca ia para frente.
Certo dia chegou a porta da igreja um mendigo e resolveu ali morar. O Pastor preocupou-se, porque o mendigo começou a juntar entulho e materiais recicláveis no portão da igreja e a mesma ficou com um aspecto de abandono. O líder da igreja passou vários dias em oração para Deus lhe dizer o que fazer com aquele homem que habitava, agora, bem na entrada do templo.
Como sua oração não fosse respondida, o Pastor resolveu conversar com ele.
- Meu bom homem o que podemos fazer por você?
O mendigo olhou bem os olhos do Pastor e respondeu:
- Por mim, nada. Mas poderia fazer por seu ministério e por seu rebanho.
O Pastor se sentiu indignado com aquele homem, afinal ele conduzia sua igreja dentro da doutrina das sagradas escrituras e o homem era um sem teto que não tinha rumo. Munindo-se de toda sua sabedoria teológica e experiência de anos o Pastor retrucou:
- O meu rebanho está muito bem, mas você me parece precisar no mínimo de um lar.
O mendigo deu uma risada e respondeu ao Pastor:
- Meu amado Pastor, eu já fui membro de seu rebanho. Já me sentei em seus bancos e ouvi a pregação da palavra. Mas a minha vida passou a ser como tudo em sua igreja, apenas com início e meio.
Eu era um homem criativo e de muitas idéias. Sempre fui ativo na obra de Deus e idealizador desde o dia de minha conversão, mas passei a incorporar em minha vida as atitudes daqueles que me lideravam.
Como tudo que acontece em seu templo, tudo em minha vida passou a não mais concluísse. Minhas orações se perdiam pelo caminho, meus projetos de vida sempre pareciam difíceis demais para ir até o fim. Na primeira barreira que encontrava eu desistia.
Muitas vezes procurei orientação em seu gabinete pastoral e mesmo com os conselheiros desta casa. Sempre fui orientado, mas o desânimo que invade sua igreja também invadiu a minha vida, até que cheguei ao ponto de perder tudo, por não ter forças e nem motivação para ir até o fim.
No meio do meu desespero tentei tirar minha vida, mas o Senhor com grande misericórdia teve pena de mim e falou comigo. Ele me disse: “Filho amado, não se torture por ser um instrumento em minhas mãos. Amo você e amo também a igreja em que congregas e preciso usar você para despertá-los. Vá e faça morada na porta da igreja, de maneira que todos possam te ver todos os dias e ver o que pode acontecer com aqueles que pegam no arado e param no meio do caminho.”
Assim, obedecendo a meu Senhor estou aqui. A minha vida será restituída, pois agora sei que as barreiras da minha existência estão aqui para serem ultrapassadas e assim poderei herdar o Reino dos Céus. Estou aqui para implorar que você meu Pastor ouça a voz de nosso Senhor e revolucione sua casa.
Tire todos os projetos engavetados e ponha-os prática. Inicie todas as correntes de oração que desejou fazer e vá até o último dia. Ponha seus jovens na rua e lute para que os sonhos criativos de seus membros saiam de suas mentes e tomem forma.
Há vidas esperando pela manifestação dos filhos de Deus e os filhos de Deus tem se acovardado diante das dificuldades.
Seja uma igreja vitoriosa, pois a igreja vitoriosa é aquela que vence seus desafios, sabendo que o caminho é regado com lágrimas, dificuldades e lutas. Mas a beleza do fim da estrada compensa toda luta.
Suba em seu púlpito e pregue com fervor sobre o evangelho da paz e ao descer viva-o com intensidade, pois os membros de uma igreja sempre seguem seus líderes e se o líder não for perseverante seus liderados nunca serão.
Cristo foi nosso maior espelho, seja espelho você também e reflita na sua congregação o desejo de nosso Pai.
As lágrimas rolaram dos olhos daquele Pastor e ele rememorou todas as vezes que deixou de seguir em frente ou permitiu que um dos seus líderes fizesse o mesmo. Em sua lembrança surgiu os rostos de todos aqueles que desistiram por não encontrar em seus líderes o incentivo para soar as trombetas do Reino dos Céus.
Ele entrou em seu gabinete e orou, orou até não ter mais forças e daquele dia em diante nunca mais foi o mesmo.

“Quem começa a arar a terra e olha para trás não serve para o Reino de Deus.”
Lucas 9:62

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

OREM!

Deus, colocamos este congresso em suas mãos.
Faça tua vontade em nossas vidas!
Use aqueles que querem ser usados e aqueles que o Senhor deseja usar.
Abraços Deus, meu grande Amigo!

Alysson Jordão

EXISTEM PESSOAS MELHORES DO QUE NÓS

As vezes, pensamos que somos os mais habilidosos, aquele que pode ensinar mais e que não tem quase nada para aprender!
A nossa seleção de futebol chegou na copa do mundo como favorita e com um titulo de sendo uma das “melhores”.
Mas será que no decorrer da copa foi a melhor?
Será que os holofotes não foram ligados em outras pessoas sem ser KAKA e ROBINHO? O que podemos aprender com isso?
Ainda que nos demos o máximo de nós, sempre terá alguém mais esforçado do que nós. Sempre existirá um que se dedica mais, treina mais, aprende mais. Sempre teremos um gigante na frente!
E as vezes, isolamos aqueles que chamamos de fraquinhos e incapaz, mas podemos ver que muitos deles alcançam degraus mais altos do que o nosso, pelo simples fato de não estarem conformados pelo que já tem e sim pelo que querem.
Infelizmente, não foi dessa vez que o hexa chegou para o Brasil, e isso me faz pensar e refletir:
Tem pessoas melhores do que nós! Pessoas dispostas, não somente pelo dinheiro, mas porque ama o que faz e se dedica naquilo.
Reflita e aprenda com as pessoas melhores do que nós não apenas em habilidades mas com espirito de conquista!

* Já era para ter publicado este texto. rsrs
Mas fique com esta meditação.
Um forte abraço e uma otima semana leitores!

Alysson Jordão

domingo, 1 de agosto de 2010

"Eu era fariseu..."

O testemunho de conversão de Paulo ganha muito mais realce na Nova Tradução na Linguagem de Hoje: “Eu “era” fariseu... Eu “era” tão fanático, que persegui a Igreja” (Fp 3.5-6).


Lembrar a sua militância dentro do partido religioso e político dos fariseus foi um ato de extrema coragem de Paulo. Jesus denunciou essa seita judaica com grande veemência, principalmente num dos seus últimos discursos. No capítulo 23 de Mateus, ele os chama abertamente de hipócritas sete vezes. Os fariseus explicam a lei de Moisés, mas “não fazem o que ensinam” (v. 3). Amarram fardos pesados nas costas dos outros, mas não os ajudam “nem ao menos com um dedo a carregar esses fardos” (v. 4). Copiam e amarram na testa e nos braços trechos das Sagradas Escrituras só para serem notados pelos outros (v. 5). Adoram ser tratados com respeito e chamados de mestres nos espaços públicos (v. 7). Trancam a porta do reino do céu, não entram “nem deixam que entrem os que estão querendo entrar” (v. 13). Exploram as viúvas, roubam-lhes os bens e, “para disfarçarem, fazem longas orações” (v. 14). Atravessam os mares e viajam por todas as terras fazendo proselitismo e, quando alguém se converte, “tornam essa pessoa duas vezes mais merecedora do inferno” do que eles mesmos (v. 15). Ensinam uma porção de coisas inexatas, dão o dízimo até da erva-doce, “mas não obedecem aos mandamentos mais importantes da lei” (v. 23) e têm o vício de coar mosquitos e engolir um camelo (v. 24). O pior de tudo é que os fariseus fazem questão de lavar o copo e o prato só por fora, deixando dentro deles as coisas que “conseguiram pela violência e pela ganância” (v. 25). Ao dizer que os fariseus eram “como túmulos pintados de branco, que por fora parecem bonitos, mas por dentro estão cheios de ossos e podridão” (v. 27), Jesus poderia ter usado o dito popular “Por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento” ou o seu correspondente “Por fora, muita farofa; por dentro, não tem miolo”.

Certamente, Paulo, nem mesmo antes da sua conversão, tinha essas características próprias dos fariseus. Porém viajava de cidade em cidade para desconverter os cristãos. Ele mesmo conta ao rei Agripa: “Durante muito tempo eu os castiguei em todas as sinagogas e os forcei a negar a sua fé. Tinha tanto ódio deles, que até fui a outras cidades para persegui-los” (At 26.11).

Não é fácil mudar de vida. Não é fácil deixar de lado estilos de vida herdados, ensinados, aprendidos, experimentados, adotados, vivenciados e arraigados por muitos anos. Também não é fácil livrar-se de certas dependências, como a dependência do álcool, da maconha, da cocaína, da pornografia. Não é nada fácil mudar de comportamento, do ódio para o amor, do egoísmo para o altruísmo, da soberba para a humanidade, do pão-durismo para a mão aberta. Não é nada fácil mudar de posição religiosa, do ceticismo para a fé, da indiferença para o fervor, da ignorância para as convicções, da irreverência para o temor do Senhor.

Todavia, além do exemplo de Paulo, a história bíblica e a história moderna estão cheias de mudanças reais e definitivas. No último instante de vida, um dos ladrões crucificados ao lado de Jesus deixou de escarnecer do Senhor (Mt 27.44) e passou para o lado dele (Lc 23.39-43). Paulo garante que muitos cristãos de Corinto, na Grécia, o elo entre Roma, a capital de império, e o Oriente, eram ex-adúlteros, ex-alcoolistas, ex-assaltantes, ex-fofoqueiros, ex-homossexuais ativos e passivos, ex-trapasseiros. Todos foram poderosamente alcançados pela graça especial de Deus, lavados, justificados e santificados em Cristo Jesus (1Co 6.9-11).

Ainda há esperança para homens e mulheres de qualquer lugar, de qualquer idade e de qualquer situação. Muitos ainda podem vir a declarar como Paulo: “Eu “era” fariseu... Eu “era” tão fanático, que persegui a Igreja”.